Ciclismo

Ciclismo
Tudo sobre bike

Pesquisar este blog

quarta-feira, 23 de agosto de 2023

Engenho do Meio - histórias do bairro

Em 1840 as terras do Engenho do Meio, situadas na Várzea pertenciam a Thomaz de Carvalho Paes de Andrade. O Engenho do Meio ficava entre o Engenho Santo Antônio e o São João. 

O Forte Arraial do Bom Jesus foi construído em terras do Engenho do Meio, pertencente a Várzea. 

O local onde hoje está situada a Cidade Universitária era o início das terras do engenho, em 1907 a rua que ligava o oitão da Matriz da Várzea ao Engenho do Meio recebeu a denominação de Avenida Inácio Barros Barreto, em homenagem ao proprietário do engenho. 

O Engenho do Meio passou a pertencer a Ignacio de Barros Barreto, que montou uma usina de açúcar no local , o Sr. Ignacio faleceu em 1931, em 1933 pertencia a João Carneiro da Cunha.

Chamava - se Sítio Bebedouro o local onde foi colocada a pedra fundamental das novas instalações do  Asilo e Colônia Penal Feminina Bom Pastor , no ano de 1943 . O Abrigo Bom Pastor já existia no Benfica desde 1924 .

Em 1948 foi constituída pelo Presidente da República a Fundação Casa Popular, com o intuito de construir moradias para os mais necessitados, as primeiras entregas em Pernambuco foram em Olinda e no Engenho do Meio, no Recife. Neste ano foi decidido a construção da Cidade Universitária no Engenho do Meio, desbancando outras possibilidades: Ibura, Joana Bezerra e Madalena/Torre. 

Em 1949 a Empresa São Sebastião atendia a vila do Engenho do Meio com 3 ônibus, o itinerário pertencia a Autoviária, mas o prefeito concedeu alguns trechos a outras empresas menores. 

Em 1950 foi instalada a luz elétrica na vila , começou a ser construída a Cidade Universitária. A Auto Viação Boa Vista operava a linha do bairro. 

Em 1951 foi inaugurada a nova estrada asfaltada ligando a Avenida Caxangá a Vila Agamenom Magalhães no Engenho do Meio , passando pelo Abrigo Bom Pastor .  

Vila Popular do Engenho do Meio

Em 1952 foram entregues as primeiras casas.

Em 1953 , mesmo com a posteação instalada ainda não havia luz elétrica na povoação. Duas empresas de ônibus atendiam a localidade : a Conceição e a Imaculada, ambas do mesmo dono, além dessas havia outra denominada Auto Viação Pereira, de apenas um veículo, dirigido pelo seu próprio dono e em condições precárias de circulação. De tanto a população reclamar foi aberta livre concorrência e mais duas empresas passaram a atender o subúrbio : Irmãos Arruda e Pereira Lima. Ainda aparece uma tal de Auto Viação Espiuca fazendo a linha do bairro. 

Em 1954 a Cidade Universitária ainda estava em construção. 

Em 1958 a linha Engenho do Meio era feita pela Empresa Rosa Maria.  

Em 1962 foi construída a grande praça do bairro. 

Em 1963 a CTU já operava no bairro.  

Em 1964 começou a funcionar Cidade Universitária, nos limites do bairro do Engenho do Meio.

A Empresa Nossa Senhora de Fátima era a responsável pelo transporte no bairro. 

O Elétrico do Engenho do Meio começou a operar em 1965 com 10 ônibus.

Em 1967 começou as obras do abrigo feminino. 

Em 1968 começou a ser construído o conjunto Engenho do Meio , na Rua Washigton Luiz. 
Em 1977 as Ruas Antônio Curado e Lindolfo Color foram pavimentadas. Outras obras foram feitas no bairro neste ano: alargamento e retificação da calha do Canal do Cavouco, alargamento da Avenida Abdias de Carvalho indo da Estrada dos Remédios até a Ceasa. 
Em 1978 foi construída a ponte ligando a Rua Manoel Estevão da Costa com a Rua Bom Pastor, permitindo o fácil acesso a Avenida Caxangá. Neste ano o tráfego do elétrico do Engenho do Meio foi suspenso por conta da derrubada da Ponte do Derby para construção de outra maior, com isso o trânsito foi desviado para as pontes da Capunga e da Torre, itinerário que não tinha rede aérea para os elétricos, a CTU teve que instalar uma nova rede ligando a Avenida Caxangá a Ponte da Torre. A  Avenida Professor Artur de Sá, ainda pertencente ao bairro Engenho do Meio foi pavimentada.
Em 1979 começou a construção da grande praça do Engenho do Meio, no lugar de uma antiga, conhecida como Praça da Vergonha pelo estado deplorável do lugar. 
 
Praça do Engenho do Meio
 
A nova praça do Engenho do Meio foi inaugurada em março de 1980 , só perdia em tamanho para o Parque 13 de Maio . 
Em 1986 as terras ocupadas pela Universidade Federal de Pernambuco, pertencentes ao Grupo Brennand, foram finalmente legalizadas. 
Com as chuvas começaram a surgir favelas no bairro, como a Asa Branca em 1987.
Em 1989 a Favela Roda de Fogo ganhou o status de comunidade, ao receber o título de posse da terra.
 
Pesquisa: jornais digitais do Recife


Nenhum comentário:

IMÓVEIS - La Vie , Moura Dubeux no bairro da Várzea

Bairro da Várzea ganha mais um Moura Dubeux

Imóveis Depois do Reserva Polidoro , a Moura Dubeux inicia a construção de mais um novo edifício na zona oeste do Recife . O La Vie é o mais...